Sistema QSet™ – Soldagem curto circuito

Sistema qtrs soldagem curto circuito 1

Você já conhece o sistema QSet™? Esse sistema está ligado a soldagem curto circuito e com essa tecnologia o soldador pode se aprimorar cada vez mais em suas técnicas de soldagem.

Um soldador que utiliza o processo mig pode encontrar algumas dificuldades para durante a execução do processo. Entre essas dificuldades a principal está em encontrar o equilíbrio correto entre a velocidade de alimentação do arame e a taxa de deposição. Esse equilíbrio se torna de estrema importância para uma soldagem curto-circuito.

Mas o que seria essa soldagem curto-circuito? Esse processo derivativo tem se tornado comum na busca de soldas com mais qualidade e produtividade, especialmente na união de dutos, isso porque o controle da corrente permite melhorar a transferência metálica dando mais estabilidade ao processo de soldagem e a poça de fusão.

Antigamente um soldador experiente no processo mig precisaria se desdobrar para fazer uma regulagem perfeita e assim encontrar o equilíbrio e executar a soldagem curto-circuito. Hoje algumas marcas de máquina de solda já disponibilizam esse sistema integrado em seus equipamentos facilitando o manuseio do soldador.

A Esab, por exemplo, possui essa função denominada de QSet™, essa função pode controlar de forma contínua o padrão de curto-circuito e ajustar automaticamente a tensão.  Ela ainda não exige nenhuma informação relativa ao diâmetro do arame, gás de proteção e outros fatores que afetam o curto-circuito. Porém, é muito importante executar uma soldagem de teste para estabelecer a relação ideal, depois disso o controle já passa ser digital e você poderá utilizar o processo tranquilamente.

Esse tipo de tecnologia é ideal para soldagem passe de raiz. Ela mantém o arco elétrico estável e garante a penetração e fusão lateral necessária, seja ela de qualquer posição.

Como era antes

Antes o soldador teria que fazer os seguintes procedimentos:

  • Escolher o ajuste aproximado;
  • Ajustar a tensão do arco;
  • Ajustar a velocidade de avanço do arame;

Dessa forma o processo faria um arco de curto-circuito na frequência ideal e com bastantes ruídos. Isso também implicaria em soldagens de variadas posições, diferentes espessuras de chapas, sendo necessário até mesmo alterar tipos de arame ou gases de proteção.

Como está agora:

Com a nova tecnologia já aprimorada você só precisará apertar o botão e fazer pequenos testes que o equipamento de solda já funcionará automaticamente. Todas as mudanças são feitas de modo automático independente da posição de soldagem.

Veja aqui um pequeno vídeo da Esab que apresenta essa tecnologia e mostra a diferença de como era antes e as melhorias com o novo sistema:

É ótimo perceber que os avanços tecnológicos também tem crescido em grande escala para nós soldadores. E por isso temos que não só nos adaptar mas também buscar aprimorar nossas técnicas para assim percebermos que essa evolução pode nos ajudar a ser melhores soldadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This