Técnicas de operação de equipamento TIG

Técnicas de operação com equipamentos tig 1
técnicas para solda tig

No processo TIG é possível escolher o tipo de soldagem mais adequada à necessidade operacional de cada situação, ele possibilita a soldagem manual, mecanizada, semiautomática e automática. Para obter bons resultados com o processo TIG, é necessário conhecer os tipos de soldagem, as técnicas de soldagem e os equipamentos adequados, que trará mais benefício para a produtividade.

Tipo de Soldagem

SOLDAGEM MANUAL

Na soldagem manual o próprio operador irá controlar todas as funções do processo de soldagem, como a adição e o suprimento de gás. Na soldagem manual são utilizados: tocha, cabos e condutores elétricos, pedal de pé (para controle de nível de corrente de soldagem) e controles de fluxo de gás. Uma vez iniciado o arco, o eletrodo é movido circularmente até o estabelecimento da poça de soldagem. A tocha é então inclinada em 15 graus e é movida ao longo da junta para fundir progressivamente as superfícies.

O material de adição é adicionado, se frio, no início da poça. Deve-se tomar um cuidado especial para manter sempre a ponta do arame de adição dentro do fluxo do gás de proteção.

SOLDAGEM MECANIZADA

A soldagem mecanizada é feita através de equipamento que produz a solda com a constante supervisão e controle do operador de solda. Este processo tem custos elevados, porém esses custos são compensados pela maior produtividade e qualidade obtidas. Os processos ocorrem como um controle aberto de forma que os níveis pré-ajustados são mantidos durante o processo sem realimentação ou ajuste.

SOLDAGEM SEMI AUTOMÁTICA NA OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTO TIG

Na soldagem semi-automática o único parâmetro automaticamente controlado é a alimentação do arame de adição, sendo o avanço da tocha realizado manualmente.

SOLDAGEM AUTOMÁTICA

Na soldagem automática os equipamentos são auto-ajustáveis, sem a interferência de um operador. Algumas máquinas modernas deste tipo fazem correções nas variáveis de soldagem baseadas em informações obtidas durante o próprio processo.

Técnicas de Soldagem TIG

FORMAÇÃO DA POÇA DE FUSÃO

  • Afim de pré-aquecer o metal e provocar o aparecimento da poça de fusão deve ser efetuado um movimento circular com arco mantido a uma distância media de 2 a 3 mm. +
  • Formada a poça de fusão a tocha deve ser posicionada em um ângulo de 15° a 20° obedecendo à direção da soldagem.
  • O metal de adição deve ser depositado na borda dianteira da poça de fusão em um ângulo de 15° a 20° em relação à superfície do metal base.

PROTEÇÃO DA RAIZ (OXIDAÇÃO)

Para obtenção de uma raiz sem oxidação o melhor método consiste em proteção da raiz com um gás inerte.

MICROSOLDA ORBITAL

Sistemas orbitais possibilitam a soldagem com produtividade e qualidade acima da média de peças como:

  • Tubos de pequeno diâmetro para uso em laboratórios indústrias de bebidas e alimentos.
  • Tubulações de maior diâmetro e espelhos de trocadores.

COMPRIMENTO DO ARCO

  • O comprimento do arco é a distância entre a ponta do eletrodo e o metal de base; o aumento do comprimento faz aumentar também a tensão do arco, sob uma dada corrente de soldagem e determinado gás de proteção.
  • O comprimento do arco influencia o cordão de solda, que será tanto mais largo quanto maior for o arco.
  • Um arco muito curto ou muito longo torna-se instável, favorecendo a formação de porosidades, mordeduras e falta de fusão.

VELOCIDADE DA SOLDAGEM, UMA DAS TÉCNICAS DE SOLDAGEM TIG

  • A velocidade de soldagem tem influência sobre a penetração e a largura do cordão de solda; assim, se a velocidade aumenta, a penetração e o cordão diminuem, acontecendo o mesmo também com o reforço, quando se solda com adição de metal.
  • Uma velocidade maior melhora a eficiência e a produtividade da soldagem, reduzindo os custos de produção.
  • Velocidades altas demais podem causar descontinuidades, como falta de penetração e mordeduras.

Aprenda mais sobre o Processo TIG/GMAW neste vídeo-curso Grátis:

VAZÃO DO GÁS

Para que a proteção oferecida pelo gás seja eficiente, é preciso considerar a vazão do gás.

  • A vazão deve ser forte o suficiente para deslocar o ar para longe da área da solda e assim proteger a poça de fusão.
  • Vazão elevada pode causar turbulência no fluxo do gás, resultando em descontinuidade ou defeitos no cordão e instabilidade do arco, sem falar no custo maior de soldagem.
  • Uma vazão baixa não oferece proteção adequada à poça de fusão, causando também descontinuidades.

A vazão ideal leva em consideração fatores como:

  • Tipo de gás utilizado;
  • Distância entre o bocal e a peça;
  • Tipo e posição da tocha; tipo de junta;
  • Diâmetro do bocal;
  • Velocidade e posição de soldagem;
  • Tipo de metal a ser soldado e
  • Tamanho da poça de fusão.

Existem no mercado dispositivo adaptável à tocha que permitem um fluxo de gás mais suave e eficiente. Uma regra para determinar a vazão ideal é fazer um teste, iniciando com vazão elevada e diminuir gradativamente até que comece uma oxidação superficial do cordão; a vazão ideal será a mais próxima e superior a essa.

TENSÃO DO ARCO

A tensão do arco, designação dada para a tensão entre o eletrodo e a peça, é fortemente influenciada pelos seguintes fatores:

  • Corrente do arco.
  • Perfil da ponta do eletrodo.
  • Distância entre o eletrodo e a peça (comprimento do arco).
  • Tipo de gás de proteção.

Tipos de tochas TIG

TOCHAS REFRIGERADAS A GÁS

  • As tochas refrigeradas a gás são mantidas na temperatura adequada pelo efeito de resfriamento causado pelo próprio gás de proteção. Estas tochas estão limitadas a uma corrente máxima de cerca de 200 A.

TOCHAS REFRIGERADAS A ÁGUA

  • As tochas refrigeradas a água promovem a circulação de água, normalmente em circuito fechado, para refrigeração. Desta forma, pode-se dispor de tochas que suportam correntes de até 1000 A. A tocha refrigerada a água é a mais empregada em equipamentos automatizados de GTAW.

Segurança na soldagem TIG

NORMAS DE SEGURANÇA

Os procedimentos de segurança devem ser cuidadosamente seguidos na aplicação e técnicas de soldagem TIG:

  • O equipamento deve ser aterrado, o operador deve certificar de que as luvas e roupas estejam secas sem umidade, para evitar risco de choque elétrico.
  • O operador deve estar protegido com máscara de lentes filtrantes e roupas de proteção para proteger da radiação ultravioleta que pode prejudicar os olhos e a pele.
  • Manter longe do arco e das fagulhas do aparelho materiais inflamáveis para evitar o risco de incêndio.
  • O operador deve usar EPIs indicados para o processo.
  • Cuidados na manipulação de cilindros pressurizados;

EPIS RECOMENDADOS NA OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTO TIG

  • Bota com solado isolante
  • Perneiras
  • Avental de raspa
  • Mangote
  • Luvas de raspas
  • Mascara de proteção automática
  • Mascara de proteção
  • Abafador de ruídos

LOCAL DE FUNCIONAMENTO DO APARELHO TIG

  • SISTEMA DE EXAUSTÃO – É importante uma ventilação adequada no local de trabalho, o operador deverá evitar uma exposição excessiva aos vapores do metal derretido.
  • UMIDADE – O local de trabalho deve estar seco livre de umidade

CONCLUINDO SOBRE AS TÉCNICAS DE SOLDAGEM TIG

O conhecimento sobre as técnicas de soldagem TIG é de extrema importância para você fazer uma boa solda.

Sempre que for realizar um trabalho de solda TIG, verifique neste texto tipos de soldagem, EPIs e técnincas para solda TIG.

Quer saber mais sobre soldagem para ajudar você e a sua empresa?

Clique na imagem ou no link abaixo e assista “Guia completo de solda Tig

O que a Alusolda faz?
A Alusolda oferece Locação, manutenção de equipamentos, e comércio de produtos no segmento de solda e corte.

Faça um orçamento sem compromisso no telefone (62) 3250-0707. Nossos melhores colaboradores irão te atender.
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.